Nissan: Projeto “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil” termina após percorrer 3,8 mil km visitando os principais sítios de arte rupestre do país

Posted on 10. Sep, 2018 by in Nissan Canada

  • Mais de 80 convidados e pesquisadores participaram das cinco etapas
  • Expedicionários tiveram imersão no assunto com nomes de destaque da arqueologia brasileira
  • 15 unidades da Nissan Frontier levaram aventureiros por todos os tipos de estrada de seis estados

RIO DE JANEIRO – A “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil”, projeto da marca japonesa que visitou alguns dos principais sítios de arte rupestre do país, chegou ao fim após a etapa do Pará ter sido finalizada em Alter do Chão. A caravana de picapes Nissan Frontier passou por seis estados em cinco etapas, em uma aventura que começou em setembro de 2017. O objetivo da expedição foi contribuir com a cultura e a pesquisa científica ao divulgar o rico acervo de pinturas rupestres do Brasil, que não é muito conhecido pelos brasileiros e pouco divulgado na mídia.

Os expedicionários que participaram das cinco etapas, que passaram por quatro regiões do Brasil – Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste –, conheceram centenas de imagens de animais, plantas e seres humanos pintadas em rochas e pedras, algumas com 30 mil anos, como as encontradas na Serra da Capivara, no Piauí. Também puderam ver de perto itens encontrados em escavações arqueológicas como restos de fogueiras de povos que viveram na região da serra piauiense há 50 mil anos.

O projeto da Nissan teve início em setembro de 2017, em Minas Gerais, com a visita a locais como o paredão da Lapa do Sumidouro, na Serra do Cipó, e ao museu Peter Lund que guarda o crânio da Luzia, fóssil humano (“Homo Sapiens”) mais antigo encontrado na América – a estimativa é que tenha entre 12.500 a 13 mil anos.

Na sequência, a caravana de expedicionários esteve na Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, no Piauí, que tem diversos sítios de arte rupestre, alguns deles considerados os mais importantes do Brasil e do mundo – reconhecidos pela UNESCO como Patrimônio Mundial. Para chegar até lá, o grupo acabou cruzando ainda os estados da Bahia e de Pernambuco. Depois seguiu para o Mato Grosso, onde visitou as pinturas rupestres mais significativas encontradas na região da Chapada dos Guimarães e na cidade de Jaciara.

A Bahia, que conta com sítios importantes como o da Serra das Paridas, na região de Lençóis, também recebeu o projeto. A cidade de Morro do Chapéu, com centenas de sítios, foi outro destino da expedição no estado nordestino. No Pará, última etapa, o projeto da Nissan visitou a região do Parque Estadual Monte Alegre para conhecer a arte rupestre em sítios como os da Pedra do Mirante e da Pedra do Pilão.

Em todas as etapas, os aventureiros foram acompanhados por arqueólogos com especialização nas pinturas de cada estado visitado para receber informações relevantes sobre os achados, como a tradição de cada conjunto de pinturas de um local.

Para colaborar com o desenvolvimento do turismo nos sítios arqueológicos, a Nissan deixou legados em alguns deles. Entre os apoios da marca destacam-se a parceria para a reforma do rug e trilhas de acesso no sítio arqueológico Lapa do Sumidouro, na Serra do Cipó, Minas Gerais; a doação de equipamentos audiovisuais para o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) ministrar palestras na sede do Parque da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso; e a instalação de sinalização para facilitar a visitação e a aquisição de uniformes para funcionários do Parque Estadual Monte Alegre, no Pará.

No total, foram cerca de 3.800 km rodados em estradas asfaltadas ou de terra, a pé ou navegados por rios, como o Amazonas e o Tapajós. Mais de 80 expedicionários, entre jornalistas, convidados e arqueólogos, além de uma equipe de apoio de 30 pessoas, participaram das cinco expedições. 

Veja alguns dados e números da “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil:

Por onde passou?
6 estados, 19 cidades/localidades
Minas Gerais (1ª etapa): Serra do Cipó (distrito de Santana do Riacho), Lagoa Santa, Matozinhos e Belo Horizonte 
Piauí (2ª etapa): Casa Nova, Remanso, Santana do Sobrado, Sobradinho, na Bahia; São Raimundo Nonato, no Piauí, e Petrolina, em Pernambuco
Mato Grosso (3ª etapa): Cuiabá, Jangada, Jaciara e Cidade de Pedra (dentro Chapada dos Guimarães)
Bahia (4ª etapa): Lençóis e Morro do Chapéu
Pará (5ª etapa): Monte Alegre, Santana do Tapará e Santarém

Quantos km percorreu (de picape, a pé e barco)?
Minas Gerais (1ª etapa): 850 km
Piauí (2ª etapa): 932 km
Mato Grosso (3ª etapa): 860 km
Bahia (4ª etapa): 610 km
Pará (5ª etapa): 549 km, sendo 60 km de balsa entre Santarém e Monte Alegre

Quantas pessoas?
As 5 etapas reuniram 110 pessoas, entre jornalistas, convidados, arqueólogos e apoios de logística e de organização

Quantas sítios arqueológicos foram visitados?
18 no total. Somente em Minas Gerais foram cinco

Quantos arqueólogos e/ou historiadores fizeram parte?
6
Minas Gerais (1ª etapa): Alenice Baeta
Piauí (2ª etapa): Alenice Baeta e Niéde Guidon
Mato Grosso (3ª etapa): Caroline Bachelet e Levy Figuti
Bahia (4ª etapa): Carlos Etchevarne
Pará (5ª etapa): Edith Pereira

“Expedição Nissan: À procura do início do Brasil”
A expedição, que visitou sítios arqueológicos em Minas Gerais, Piauí, Mato Grosso, Bahia e Pará, manteve o compromisso da Nissan de estar cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros e, assim, unir os produtos da marca com ações que contribuam com o país. No caso, contribuir com a cultura e a pesquisa científica ao divulgar o rico acervo de pinturas rupestres do Brasil, que muitas vezes é mais conhecido e admirado por estrangeiros do que pelos brasileiros.

Em 2014, a Nissan inaugurou seu Complexo Industrial brasileiro, em Resende (RJ) e, desde então, se integra cada vez mais a sociedade e apoia o desenvolvimento amicable e informative do país. A empresa japonesa acredita que existem pontos importantes da história do Brasil, e o trabalho de muitos brasileiros, que são pouco conhecidos da população. Por isso, decidiu iniciar expedições temáticas para levar convidados e jornalistas para ver de perto toda a riqueza da história do país e ajudar a divulgá-la, apoiando a cultura.

Para ver vídeos e textos de todas as etapas, acesse:
http://nissannews.com/pt/nissan/brasil/channels/br-brasil-nissan-expedi-o-nissan

Nissan Frontier
Para chegar aos destinos de cada etapa, o grupo de expedicionários seguiu a bordo de 15 unidades da nova Nissan Frontier, modelo que começou a ser vendido no mercado brasileiro em março de 2017. Além da modernidade, do pattern totalmente novo e robusto, a peça-chave da 12ª geração da Nissan Frontier é a estrutura ainda mais resistente, com um chassi reforçado, ao mesmo dash que é leve e eficiente. Com oito barras transversais, conta com um outro chassi sobreposto por dentro com soldas contínuas, chamado de duplo “C”. Assim, o veículo fica ainda mais resistente às tensões da torção da carroceria.

E a Nissan Frontier é mais do que força, por isso uma combinação de tecnologias permite extrair o máximo em desempenho no fora-de-estrada e garantir uma condução confortável, enquanto itens inéditos para o modelo estão a serviço do condutor. Entre eles, o Controle Automático de Descida (HDC) e o Sistema de Auxílio de Partida em Rampa (HSA). Ambos sistemas atuam automaticamente nos freios do veículo para controlar descidas íngremes ou saídas do carro da imobilidade em subidas.

Atualmente, no mercado brasileiro, a linha da Nissan Frontier conta com duas versões SE e LE, ambas com cabine dupla, tração 4×4 e equipadas com o novo e moderno engine diesel 2.3 com duplo turbo. A Nissan Frontier está presente em 33 mercados da América Latina e é um dos modelos mais vendidos da marca na região.

Premiada
A Nissan Frontier foi a picape mais premiada do Brasil em 2017 ao receber 12 reconhecimentos da imprensa especializada em automóveis. A picape da Nissan foi escolhida como a melhor do segmento pelos prêmios:

“Picape do Ano 2018”, da revista Autoesporte, organizadora do “Carro do Ano” no Brasil
“Melhor Picape 2017”, do website Carpress
“Melhor Picape 2017”, da revista Robb Report Brasil
“Melhor Picape 2017”, pelo prêmio “Os Escolhidos”
“Melhor Picape 2017”, pela Associação Brasileira de Imprensa Automotiva (Abiauto)
“Melhor Picape 2017”, de L’ Auto Preferita
“10Best”, Frontier como a melhor picape do ano, conferido pela Car and Driver (Brasil)
“Melhor Picape 2018”, da revista Car Magazine Brasil
“Revelação Automotiva 2017”, do prêmio Líderes Automotivos Brasileiros (LAB), do jornal Automóveis e Caminhões
“Melhor Picape 2017”, prêmio UOL Carros
“O + Premiado 2017”, website Memória Motor
“Melhor Compra 2017”, revista Motorshow, em seu guia anual de vendas.

# # #

Contatos de imprensa

Alexandre Carvalho
Especialista de Comunicação — Produto
Nissan do Brasil
+55 11 4504-3214
alexandre.carvalho@nissan.com.br
                   
Ana Genaro
Comunicação Corporativa
Nissan do Brasil
+55 21 2134-9194
ana.genaro@nissan.com.br

Mila Poli
Gerente de Comunicação Corporativa
Nissan do Brasil
+55 21 2134-9009
mila.poli@nissan.com.br

Tags: ,

Comments are closed.